"A Vida, como a fizeres, estará contigo em qualquer parte." (Autoria desconhecida)

TATUAGEM VIRTUAL- ROBSON DOMINI (AUTORAL)


VEM DE VESTIDO SOLTO NAS ASAS DO VENTO
PARECE QUE LÊ MEU PENSAMENTO
 O TEMPO PÁRA ELA PASSAR
TEM A CHAVE QUE ABRE LABIRINTO
DESFAZ O MAU TEMPO EM MEU SENTIMENTO
ELA É O SUJEITO DO VERBO AMAR
ELA SABE QUE A SUA IMAGEM
É MINHA TATUAGEM VIRTUAL
VEM DE VESTIDO SOLTO NAS ASAS DO VENTO
PARECE QUE LÊ MEU PENSAMENTO
O TEMPO PÁRA PRA ELA PASSAR
PORÉM, SE DE SALTO ALTO INVADE MEU PEITO
DESANDA MEU SAMBA DE PARTIDO ALTO
ME FAZ OBJETO DO VERBO AMAR
ELA SABE QUE A SUA IMAGEM
É MINHA TATUAGEM VIRTUAL

HGCB - Vol. 11 - O Brasil republicano: economia e cultura (1930-1964) - Bóris Fausto e Sérgio Buarque de Holanda


Este volume, o último da coleção, analisa economia e cultura brasileiras entre a Revolução de 1930 e o Golpe Militar de 64.

HGCB - Vol. 10 - O Brasil republicano: sociedade e política (1930-1964) - Bóris Fausto e Sérgio Buarque de Holanda


Este volume analisa sociedade e política brasileiras entre a Revolução de 1930 e o Golpe Militar de 64.

HGCB - Vol. 9 - O Brasil republicano: sociedade e instituições (1889-1930) - Bóris Fausto e Sérgio Buarque de Holanda


Este volume analisa a sociedade e as instituições brasileiras entre a Proclamação da República e a Revolução de 1930.

HGCB - Vol. 8 - O Brasil republicano: Estrutura de poder e economia (1889-1930) - Bóris Fausto e Sérgio Buarque de Holanda


Este volume analisa a estrutura de poder e economia entre a Proclamação da República e a Revolução de 1930.

HGCB - Vol. 7 - O Brasil monárquico: do Império à República - Bóris Fausto e Sérgio Buarque de Holanda


HGCB - Vol. 6 - O Brasil monárquico: declínio e queda do Império - Bóris Fausto e Sérgio Buarque de Holanda


HGCB - Vol. 5 - O Brasil monárquico: reações e transações - Bóris Fausto e Sérgio Buarque de Holanda


Este volume, Reações e transações, está dividido em três partes: Vida política, Da escravidão ao trabalho livre e Ciências, Letras e Artes.

HGCB - Vol. 4 - O Brasil monárquico: dispersão e Unidade - Bóris Fausto e Sérgio Buarque de Holanda


Este volume, Dispersão e unidade, está dividido em seis partes: A Regência, As Províncias do Norte e do Oeste, O Nordeste e a Bahia, As Províncias do Centro, As Províncias do Sul e A Reação Monárquica.

HGCB - Vol. 3 - O Brasil monárquico: o processo de emancipação - Bóris Fausto e Sérgio Buarque de Holanda


Este volume sobre O processo de emancipação está dividido em quatro partes: O Novo Descobrimento do Brasil, O Movimento da Independência, Lutas Externas e O Primeiro Reinado.

HGCB - Vol. 2 - A época colonial: administração, economia, sociedade - Bóris Fausto e Sérgio Buarque de Holanda


O segundo volume, Administração, economia, sociedade está dividido em cinco partes: Política e Administração; Vida Espiritual; Letras, Artes, Ciências; Economia e Finanças e A Caminho da Emancipação Política. 

HGCB - Vol. 1 - A época colonial: Do descobrimento à expansão territorial - Bóris Fausto e Sérgio Buarque de Holanda


Do descobrimento à expansão territorial, pertence ao Tomo 1 — A época colonial e está dividido em cinco partes — O velho mundo e o Brasil; A terra e a gente; O advento do homem branco; A ameaça externa; e A expansão territorial.

Raça


O termo raça significa dizer que há grupos de pessoas que possuem características fisiológicas e biológicas comuns. No entanto, o uso do termo raça acaba classificando um grupo étnico ou sociedade, levando também à hierarquização.
Apesar da diversidade, existem aspectos universais nas culturas humanas. A linguagem é um exemplo. Apesar de existirem diferentes línguas, a necessidade de comunicação é comum a todas as culturas. Existem outros exemplos de características universais: partilha, inter-ajuda, relações afetivas, religião, solidariedade etc.
A socialização transforma os seres humanos em seres sociais. Sendo um processo de construção da identidade social não destrói a identidade individual, passa a fazer parte dela. É o processo pelo qual os homens aprendem as normas das culturas de origem, e que lhes permite o contato social com as gerações passadas e futuras, pela partilha dessas normas.  

Etnia


O conceito de etnia distingue-se do conceito de raça e cultura. Etnia é um conceito associado a uma referência, origem comum de um povo, são grupos que compartilham os mesmos laços linguísticos, intelectuais, morais e culturais. Embora possuam uma mesma situação de dependência de instituições e organização social, econômica e política, não se constitui em uma nação, mas apenas em um agrupamento étnico. Etnia é, portanto, um conceito diferente de raça e cultura.  

Herança social e legado cultural


Herança social e legado cultural: são processos de transmissão cultural, que ocorrem ao longo da história, nos quais as gerações mais velhas transmitem às gerações mais jovens a cultura do grupo.
Muitos sociólogos e historiadores brasileiros, a partir do século XIX, buscaram explicar a formação do povo brasileiro, caracterizado pela diversidade cultural, enquanto uma nação. E o olhar de alguns desses autores foi exclusivamente dedicado ao aspecto cultural. O legado cultural que herdamos dos povos que se misturam deu origem aos brasileiros.  

Diversidade Cultural


Costumamos dizer que somos o povo brasileiro, que vivemos no país do futebol e do carnaval. Pelo menos é assim que nos veem os outros povos. Contudo, quando somos indagados e questionados sobre nossa identidade nacional, ou seja, que povo realmente somos e, qual o sentido da nossa formação enquanto nação, ficamos na maior “crise de identidade”.
Ora, como definir quem realmente somos em meio à diversidade cultural? Mas, será que temos mesmo uma única e autêntica identidade nacional?
Quando falamos em identidade, logo pensamos em quem somos, no sentido individual, gostos, preferências, família, RG onde somos identificados, não como pessoas, mas como um número em meio a tantos outros etc. E o mais interessante, está ali a nossa nacionalidade, a que nação e povo pertencemos e também nossa naturalidade, que indica a qual região do nosso país pertencemos.
Um exemplo desse processo social de transmissão de cultura é a educação ou criação familiar. A cada geração vai se transmitindo, ou melhor, ensinando aos filhos e jovens certos conhecimentos e valores morais adquiridos pela geração mais velha.  

Mudanças culturais e aculturação


A mudança cultural ocorre quando acontece qualquer tipo de alteração na cultura. Essa mudança pode ser pequena ou de grandes proporções, alterando toda uma cultura, como por exemplo acontece há tempos em várias regiões da África. Pode ser aceita facilmente ou por resistência.
As mudanças podem ocorrer por vários motivos, dentre eles, contato com outros povos, tecnologia, intempéries da natureza. No Brasil, com a chegada dos portugueses, os povos indígenas que aqui viviam viram sua cultura ser modificada; as tribos que não foram exterminadas viram parte de sua cultura perder suas qualidades distintivas.  

Conceituando “cultura”


Cultura, muitas vezes é confundida com aquisição de conhecimentos, com educação, com erudição. A cultura é informação, é a reunião de conhecimentos aprendidos no decorrer de nossas vidas, é herança social.
Por ser uma herança social, o ser humano “recebe” a cultura dos seus antepassados, mas cada pessoa, cada indivíduo é capaz de modificar a cultura herdada, pois a cultura é modificável, flexível, o ser humano “recebe” a cultura e a remodela, portanto a cultura não é fixa.
Cultura é tudo aquilo que aprendemos e compartilhamos com nossos semelhantes. Ela é relativa, não existe uma cultura boa, ou uma cultura ruim, superior ou inferior, como acreditavam os alemães, inclusive criadores da compreensão que muitos de nós ainda temos de “Cultura” com C maiúsculo, indicando superioridade, e neste sentido quem compreende a cultura desta forma arcaica e equivocada tende a fazer afirmações do tipo: “fulano é culto”, “fulano não tem cultura” ora, todos e todas temos cultura!  

Karl Marx e a crítica da sociedade capitalista.



O alemão, filósofo e economista Karl Marx (1818–1883), foi o fundador do materialismo histórico. Foi o primeiro a empregar o termo “classe social”. Em suas obras, Marx sugeria uma ampla mudança na área política, social e econômica. Para ele, o capitalismo alienou o trabalhador dos meios de produção, pois este conhecia apenas parte desse processo; e o alienou da política, propondo que ele fosse representado por outros. Dessa forma um dos conceitos fundamentais na teoria marxista é a alienação.
Marx foi um dos responsáveis, se não o maior deles, em promover uma discussão crítica da sociedade capitalista que se consolidava, bem como da origem dos problemas sociais que este tipo de organização social originou.
Para Marx “a história de todas as sociedades tem sido a história da luta de classes”.

Para este pensador o capital é uma relação social  

Magma - João Guimarães Rosa


Livro de poemas deste que é um dos maiores prosadores da língua portuguesa. Premiado no concurso literário da Academia Brasileira de Letras em 1936, este pequeno volume só foi publicado seis décadas depois, revelando assim o talento de Guimarães Rosa em um gênero pelo qual jamais voltaria a enveredar.