"O único lugar onde o sucesso vem antes do trabalho é no dicionário" (Autoria desconhecida)

FILOSOFIA – 3º ANO – PROVA PARCIAL



2ª UNIDADE – 2018 – Prova: Thomas Hobbes


01 – B

02 – D

03 – C

04 – E

05 – Resposta: A neutralidade é uma das teses que constituem a ideia de que a ciência é livre de valores. De acordo com essa tese, a pesquisa cientifica não se influencia pelos valores pessoais do cientista nem pelos princípios gerais da sociedade na qual se desenvolve. Com base na neutralidade, afirma-se que as teorias cientificas não servem a nenhuma perspectiva de valor particular

06 – Resposta: O filosofo da ciência Hugh Lacey argumenta que a ciência não está livre de valores, pois serve aos interesses do neoliberalismo, e as suas teorias e praticas se inserem na lógica do lucro. O desenvolvimento de sementes, por exemplo, volta-se mais à lógica capitalista do lucro e do investimento do que ao bem-estar das populações que vivem nas regiões produtoras.

07 – Resposta: Revolução copernicana é o nome que se dá à profunda transformação na concepção do universo, ocorrida no início da Idade Moderna, com a proposição de um sistema planetário heliocêntrico (“centrado no Sol”, da palavra grega para Sol, helios) em lugar do modelo geocêntrico (“centrado na Terra”, da palavra grega para Terra, geo). Diz-se “copernicana” porque tal revolução científica foi iniciada pelo trabalho do astrônomo e cônego polonês Nicolau Copérnico (1473-1543), o primeiro a propor um modelo heliocêntrico com detalhes matemáticos bem desenvolvidos.

FILOSOFIA – 2º ANO – PROVA PARCIAL



2ª UNIDADE – 2018 – Prova: Thomas Hobbes

01 – D

02 – E

03 – C

04 – B

05 RESPOSTA: As instâncias que Montesquieu propôs são três: legislativa, executiva e judiciária. Isso porque a concentração desses poderes em uma só pessoa ou grupo os alçaria acima da sociedade. Imagine, por exemplo, que o mesmo indivíduo ou grupos de indivíduos pudesse criar a lei, executá-la e julgá-la. Seria um poder despótico. As leis poderiam ser elaboradas em favor dessa pessoa ou desse grupo, a força repressiva do Estado poderia ser usada contra qualquer um que se opusesse a seus desmandos e os julgamentos seriam sempre decididos em favor de quem estivesse no poder. A sociedade estaria à mercê da arbitrariedade de quem ocupasse o poder do Estado, pois não haveria quem pudesse freá-lo.


06 – RESPOSTA: A personagem se refere à ditadura militar, que se estabeleceu no país de 1964 a 1985. Nesse período o governo autorizou a prática de diversos crimes contra os direitos humanos, que são citados na charge, como tortura e morte de presos políticos, perseguições aos cidadãos e restrição da liberdade.

07 RESPOSTA: A opinião sobre a realidade atual tem um tom crítico: ao mesmo tempo que enumera os benefícios decorrentes do fim do regime ditatorial, mostra que a democracia convive com outros problemas que sistematicamente desrespeitam os direitos humanos, como a desigualdade social e as condições socioeconômicas precárias, que impossibilitam a garantia aos cidadãos do direito a uma vida digna.

FILOSOFIA – 1º ANO – PROVA PARCIAL



2ª UNIDADE – 2018 – Prova: Heráclito de Éfeso

01 – A

02 – E

03 – C

04 – D

05 – C

06 – B

07 – Resposta: No texto, o sofista estabelece uma separação entre nomos e physys. As leis seriam criadas por convenção humana (nomos), que está sujeita ao acaso e à causalidade. A natureza (physys), por sua vez, seria regulada por regras inatas e inevitáveis.

08 - Resposta: Antífone defende o argumento de que o ser humano só respeitas as leis estabelecidas por convenção humana na medida em que teme a opinião dos outros indivíduos na comunidade. Na ausência de testemunhas, pode-se transgredir essas leis sem temer a vergonha ou o castigo. Ao contrário, as regras da natureza, pelo seu caráter necessário e inevitável, não podem ser descumpridas sem consequências adversas para o ser humano, que se traduzem em fatos capaz de prejudicá-lo.

Viva: a vida é uma festa - 109 min.



Miguel é um menino de 12 anos que deseja ser um músico famoso, mas precisa lidar com sua família que desaprova seu sonho. Determinado a virar o jogo, ele acaba desencadeando uma série de eventos ligados a um mistério de 100 anos.

Passageiros (2017) - 117 min.



Durante uma viagem de rotina no espaço, dois passageiros são despertados 90 anos antes do tempo programado, por causa de um mal funcionamento de suas cabines. Sozinhos, Jim (Chris Pratt) e Aurora (Jennifer Lawrence) começam a estreitar o seu relacionamento. Entretanto, a paz é ameaçada quando eles descobrem que a nave está correndo um sério risco e que eles são os únicos capazes de salvar os mais de cinco mil colegas em sono profundo.

Philomena - 98 min.



Irlanda, 1952. Após ficar grávida fora do casamento, Philomena é mandada para um convento. Lá ela tem seu filho, mas convive pouco tempo com ele, já que é obrigada a entregá-lo para adoção. A criança é adotada por um casal americano, e, durante 50 anos, Philomena busca incansavelmente pelo filho, com a ajuda do jornalista Martin. Ao viajar para os Estados Unidos, eles descobrem informações incríveis sobre a vida do filho de Philomena e criam um intenso laço de afetividade entre os dois.

Bullet Head - 95 min.



Um assalto dá tragicamente errado, três criminosos de carreira se veem presos em um armazém, com a lei se aproximando. Mas, dentro do armazém, uma ameaça maior os espera - um cão de ataque vicioso que fará com que os fugitivos lutem por suas vidas.

Bright - 118 min.



Em um mundo futurista, seres humanos convivem em harmônia com seres fantásticos, como fadas e ogros. Mesmo nesse cenário infrações da lei acontecem e um policial humano (Will Smith) especializado em crimes mágicos é obrigado a trabalhar junto com um orc (Joel Edgerton) para evitar que uma poderosa arma caia nas mãos erradas

Olho por olho - 102 min.



Karen está presa no trânsito, falando ao telefone com sua filha que está em casa. De repente, ela escuta, aterrorizada, alguém invadindo a casa e matando a filha. Embora o assassino seja preso, a justiça o liberta e Karen fica obcecada por vingança.

Sangue no gelo - 105 min.



O detetive Jack Halcombe está investigando os crimes de Robert Hansen, um assassino em série que, há 13 anos, tem espalhado terror pelas ruas da cidade de Anchorage, no Alasca. Ele já sequestrou mais de 20 mulheres e as deixou na mata, só pelo prazer doentio de caçá-las. Cindy Paulson, uma jovem de 17 anos, consegue escapar das garras de Hansen e resolve ajudar o detetive Halcombe a prender o assassino.

A teia da aranha - 104 min.



O detetive Cross recebe ajuda da agente do Serviço Secreto Jezzie Flannigan para enfrentar um misterioso psicopata esquizofrênico, que tece seus planos com a mesma precisão que uma aranha tece a sua teia.

O físico ´- 150 min.



Inglaterra, século XI. Ainda criança, Rob vê sua mãe morrer em decorrência da doença do lado. O garoto cresce sob os cuidados de Bader, o barbeiro local que promete curar doenças. Ao crescer, Rob acumula todos os conhecimentos de Bader sobre cuidar de pessoas doentes, mas ele sonha em saber mais. Após Bader passar por uma operação nos olhos, Rob descobre que na Pérsia há um médico famoso, responsável por administrar um hospital. Para aprender com ele, Rob faz uma longa viagem rumo à Ásia.

De olhos bem fechados - 165 min.



Quando Alice admite ter fantasias sexuais com um homem que conheceu ao acaso, seu marido, o médico Bill Hartford, fica obcecado com a ideia. Ele descobre um grupo sexual secreto e comparece a um dos encontros, percebendo que se envolveu mais do que deveria.

A mulher mais odiada do mundo - 91 min.



Na década de 1960, a ativista ateísta Madalyn Murray O'Hair decidiu lutar contra a religiosidade de seu país com o objetivo de criar uma sociedade mais laica ao conseguir que a Suprema Corte dos Estados Unidos derrubasse a obrigatoriedade da leitura da Bíblia nas escolas públicas. No entanto, este ato político gerou uma verdadeira onda de perseguições e ódio que Madalyn nunca pôde prever.

A colina escarlate - 119 min.



Edith se casa com o sedutor Sir Thomas Sharpe e vai morar em uma remota mansão gótica. Lá, também vive a misteriosa Lady Lucille, irmã de Thomas. A casa é assombrada e Edith decide investigar as aparições fantasmagóricas. À medida que se aproxima da verdade, a jovem percebe que os verdadeiros monstros são feitos de carne e osso.

SOCIOLOGIA – 3º ANO – PROVA PARCIAL



2ª UNIDADE – 2018 - Prova: Martinho Lutero



01 – A

02 – B

03 – A

04 – C

05 – Resposta: O estudo das religiões é importante para uma melhor compreensão de nossa sociedade pois, muitas vezes, as ações dos indivíduos não são inspiradas só por interesses econômicos ou políticos, mas também por questões religiosas.

06 – Resposta: Segundo pesquisa conduzida pela socióloga Regina Novaes, os jovens estão à procura da religião, pois estão preocupados com o futuro e querem uma explicação para o sentido da vida. Para a atual geração de jovens brasileiros, o futuro, o mercado de trabalho e as drogas são fatores de sofrimento. A religiosidade ajuda a tornar isto suportável. Diante da dura competição do mercado de trabalho, que cria muitas angústias, somente o acesso à informação tecnológica e científica não basta. As religiões incentivam a formação de grupos jovens, que têm o papel social de ser um lugar de trocas, onde o lazer se associa à religião.

07 – Resposta: O fundamentalismo é a interpretação literal do que está escrito nos textos sagrados; caracteriza-se pelo fato dos adeptos de determinada religião interpretarem seus princípios literalmente (ao pé da letra), como está escrito. São intolerantes em relação aos não fundamentalistas e, frequentemente, apoiam concepções politicas e sociais conservadoras, pois possíveis mudanças sociais podem não estar de acordo com os preceitos religiosos.

SOCIOLOGIA – 2º ANO – PROVA PARCIAL



2ª UNIDADE – 2018 – Prova: John Locke

01 – C

02 – A

03 – B

04 – E

05 – Resposta: São as relações assalariadas de produção (trabalho assalariado). Tais relações baseiam-se na propriedade privada dos meios de produção pela burguesia. Como não são proprietários dos meios de produção, os trabalhadores são obrigados a trabalhar para a burguesia.

06 – Resposta: Para Marx, socialismo seria a primeira etapa de construção de uma nova sociedade, em que os operários, depois de derrubarem a burguesia, instalariam um novo Estado, chamado Estado Operário. Com o desenvolvimento desse Estado – baseado na ampliação da participação dos produtores de riqueza nas decisões econômicas e políticas da sociedade – aos poucos, os indivíduos perceberiam que este não seria mais necessário, evoluindo para uma sociedade comunista, onde todos desfrutariam das riquezas produzidas, extinguindo definitivamente as desigualdades e a exploração do homem pelo homem. Vladimir Lênin, líder da Revolução Russa, em 1917, escreveu que o socialismo só poderia ser realmente válido com um regime democrático, em que o poder fosse exercido pelos próprios trabalhadores. Afirmava que o Estado, após a revolução vitoriosa, se extinguiria paulatinamente, conforme defendia Marx. Lênin, na Rússia revolucionária, incumbia aos sovietes (comitês de soldados, camponeses e operários), em caráter transitório, o exercício do poder de Estado, baseado na ampla democracia e participação operária e camponesa nas decisões econômicas do país. Isso até que se chegasse ao autogoverno dos trabalhadores – o comunismo – com o fim do Estado e de todas as formas de opressão. Outra ideia fundamental de Marx e Lênin era que esse processo de mudanças revolucionárias deveria ser internacional e não restrito a um país ou grupos de países.

07 – Resposta:  É preciso dissociar o mito da realidade. Então se deve entender o que se relaciona com o mito: mundo sem fronteiras, cidadania global, cosmopolitanismo e o “pensamento único” (McLuhan). Para revelar a ideia de aspectos perversos, é preciso demonstrar a assimetria centro-periferia, o papel da mídia na difusão de mitos, a crença irrestrita no progresso (que nem sempre provê os avanços teóricos), restrições à imigração (Santos Gómez). É necessário relacionar os meios e os discursos do mito, já citados neste gabarito, com aquilo que realmente ocorre e não é divulgado.

SOCIOLOGIA – 1º ANO – PROVA PARCIAL



2ª UNIDADE – 2018 - Prova: Sócrates

01 – A

02 – Certo

03 – Errado

04 – Errado

05 – Resposta: No senso comum, definir cultura significa que uma pessoa não é sofisticada em seus saberes, ou seja, tem a ver com a educação recebida em sua vida. Melhor dizendo, uma pessoa que não tem cultura, significa ou indica uma capacidade menor de compreender certas situações ou dados da realidade em que vive.

06 – Resposta: Significa que existe a presença de várias culturas numa mesma sociedade. Elas podem apenas se tolerar entre si, mas também podem se relacionar.

07 – Resposta: Definir cultura é compreender também as variadas formas que governam os grupos humanos às suas relações de poder, aos diferentes modos de organizar a sociedade, se apropriar dos recursos naturais, de inventar, significar e expressar a realidade humana. Pensando dessa forma, percebemos o quanto a definição de cultura no senso comum é incompleta, restrita e seletiva. Além de tudo, por reproduzir características etnocêntricas, ela é incapaz de nos ajudar na compreensão da diversidade humana.

Graça e Perdão - 86 min.



A pequena comunidade Nickel Mines foi abalada por um crime que ninguém poderia imaginar. Uma mãe tenta superar a perda de sua filha, após um atirador invadir uma escola para meninas Amish.

Atirador - 126 min



O atirador Marksman Bob Lee Swagger deixa o exército e desaparece sem deixar rastros, depois que uma missão acaba muito mal. Swagger é persuadido a voltar, para ajudar a impedir o assassinato do Presidente dos Estados Unidos. Só que ele foi enganado e passa a ser perseguido como criminoso.