"A Vida, como a fizeres, estará contigo em qualquer parte." (Autoria desconhecida)

Ulysses Guimarães


O paulista Ulysses Guimarães é o recordista de vitórias em eleições para a Câmara Federal. Ele exerceu 11 mandatos, de 1950 a 1992, quando morreu num trágico acidente de helicóptero. Afastou-se apenas uma vez, em 1961, para assumir o cargo de ministro da Indústria e Comércio no regime parlamentarista instituído depois da renúncia de Jânio Quadros. Entre as mulheres, Ivette Vargas, filha de Getúlio, exerceu seis mandatos.

Minervino de Oliveira: primeiro operário a concorrer à Presidência do Brasil.


Lula não foi o primeiro operário a concorrer à Presidência do Brasil. Em 1930, o operário têxtil Minervino de Oliveira, que tinha sido eleito vereador em 1928 pelo Rio de Janeiro, disputou a Presidência pelo Bloco Operário Camponês, um braço do Partido Comunista. Não há registros do seu número de votos. 

Promessa de campanha


Ex-governador do Piauí, Alberto Silva se candidatou à Prefeitura de Teresina em 1996. Uma de suas promessas era “reduzir a temperatura da cidade”. 

Jorge Amado - deputado federal em 1948


O mandato de deputado federal do escritor Jorge Amado foi cassado em 1948, quando o Partido Comunista (PC) foi declarado ilegal, medida seguida pela invasão de sua casa em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, por agentes do Dops. A violência levou-o a partir para a França. Jorge Amado só voltaria ao Brasil quatro anos depois. Ele foi eleito por São Paulo no dia 2 de dezembro de 1945 com 15.315 votos. 

Salvador Dali - Individual - Cavalos Azuis

Salvador Dali - Individual - Brasão do Corpo Feminino

Salvador Dali - Individual - Argus

Kant (Parte 08/08)



— Posso considerar meu dever conseguir dinheiro para os que não têm o que comer ou onde morar.
— Sim, e o importante é que você o faça porque considera isto certo. Mesmo que o dinheiro que você conseguiu ajuntar se perca a caminho e jamais chegue a saciar a fome daqueles a quem se destinava, ainda assim você seguiu a lei moral. A sua atitude estava correta e a atitude correta é para Kant decisiva para que possamos chamar algo de moralmente correto, não as conseqüências da ação. Por isso é que também chamamos a ética de Kant de ética da atitude

Kant (Parte 07/08)



— Entretanto, Kant formula o seu imperativo categórico de várias maneiras. Primeiro ele diz que devemos sempre agir de modo a podermos desejar que a regra a partir da qual agimos se transforme numa lei geral. Literalmente, Kant diz: “Age apenas segundo aquelas máximas através das quais possas, ao mesmo tempo, querer que elas se transformem numa lei geral”.
— Quando faço alguma coisa, preciso estar certa de que posso desejar que todos os outros façam a mesma coisa na mesma situação.
— Exatamente. Só assim você estará agindo em consonância com a lei moral interna. Kant formulou o imperativo categórico de modo a que nós tratemos as outras pessoas sempre como um fim em si mesmo, e não como um simples meio para se chegar a outra coisa.  

Kant (Parte 06/08)



— Mas no começo você disse que Kant queria salvar os fundamentos da fé cristã.
— Sim, e de fato ele garante espaço para a religião em seu pensamento justamente naquela zona à qual não conseguem chegar nem a nossa experiência, nem a nossa razão. E justamente este vácuo pode ser preenchido pela fé religiosa.
— E foi assim que ele salvou o cristianismo?
— Podemos dizer que sim. É preciso observar que Kant era protestante. Desde a Reforma, um traço do cristianismo protestante era justamente a fé. Desde o início da Idade Média, a Igreja católica acreditava mais na razão como um pilar da fé.  

Kant (Parte 05/08)



— Nas grandes questões que concernem à realidade como um todo, dois pontos de vista exatamente opostos parecerão sempre igualmente prováveis e igualmente improváveis.
— Exemplos, por favor.
— Faz tanto sentido dizer que o mundo teve um começo no tempo, quanto dizer que não houve começo algum. A razão não é capaz de decidir sobre as duas possibilidades, pois não é capaz de “abarcar” nenhuma delas. Podemos afirmar que o mundo sempre existiu, mas será que alguma coisa pode ter sempre existido sem nunca ter tido um começo? E se adotamos o ponto de vista oposto e dizemos que o mundo teve de começar em algum momento, isto significa que ele teve de surgir do nada, senão estaríamos falando apenas da passagem de um estado para outro. E, nesse caso, pode alguma coisa surgir do nada, Sofia?  

Kant (Parte 04/08)



— Hume tinha explicado que não podemos nem sentir, nem provar as leis da natureza. Kant se sentia muito pouco à vontade em relação a esta afirmação. Ele acreditava poder provar a validade absoluta das leis da natureza, à medida que mostrasse que quando falamos em leis da natureza estamos falando, na verdade, de leis do conhecimento humano.
— Será que um bebê também se viraria para tentar descobrir quem tinha empurrado a bola? 

Kant (Parte 03/08)



— A consciência humana não é, portanto, uma “placa” que só registra passivamente as impressões sensoriais vindas de fora. Ela também é criativa; é uma instância formadora. A própria consciência coloca sua marca no modo como percebemos o mundo. Talvez possamos comparar isto com o que acontece quando colocamos água num jarro de vidro. A água toma a forma do jarro. Do mesmo modo, as impressões dos sentidos se adaptam às nossas “formas da sensibilidade”. 

Kant (Parte 02/08)



— Como ponto de partida, Kant concorda com Hume e com os empíricos quanto ao fato de que devemos todos os nossos conhecimentos às impressões dos sentidos. Mas, e nesse ponto ele concorda com os racionalistas, nossa razão também contém pressupostos importantes para o modo como percebemos o mundo à nossa volta. Em nós mesmos, portanto, existem certas condições que determinam nossa concepção do mundo.
— É este o exemplo? 

Kant (Parte 01/08)



(…)
— (…) Vamos nos sentar perto da lareira. Vou lhe contar alguma coisa sobre Kant.
Nesse momento, Sofia encontrou uns óculos sobre uma mesinha colocada entre duas poltronas. Ela percebeu que as duas lentes eram vermelhas. Talvez fosse um par de óculos de sol bem fortes…
— São quase duas horas — disse ela. — Preciso estar em casa o mais tardar às cinco. Minha mãe na certa deve ter planejado alguma coisa para o meu aniversário.
— Então temos três horas.
— Vamos começar. 

Capitães da Areia - 96 min.


Pedro Bala (Jean Luís Amorim), Professor (Robério Lima), Gato (Paulo Abade), Sem Pernas (Israel Gouvêa) e Boa Vida (Jordan Mateus) são adolescentes abandonados por suas famílias, que crescem nas ruas de Salvador e vivem em comunidade no Trapiche junto com outros jovens de idade semelhante. Eles praticam uma série de assaltos, o que faz com que sejam constantemente perseguidos pela polícia. Um dia Professor conhece Dora (Ana Graciela) e seu irmão Zé Fuinha (Felipe Duarte), que também vivem nas ruas. Ele os leva até o Trapiche, o que desencadeia a excitação dos demais garotos, que não estão acostumados à presença de uma mulher no local. Pedro consegue acalmar a situação e permite que Dora e o irmão fiquem por algum tempo. Só que, aos poucos, nasce o afeto entre o líder dos Capitães da Areia e a jovem que acabou de integrar o bando.

O Absolutismo: a ascensão de Luís XIV - 94 min.



O Absolutismo - A Ascensão de Luís XIV, superprodução histórica do mestre Roberto Rossellini sobre os primeiros anos do reinado do "Rei Sol", Luís XIV (1643-1715), o maior monarca absolutista da França.

França, 1661. Com a morte do Cardeal Mazarino, que controlava os assuntos de Estado, o Rei Luís XIV decide que reinará sozinho, encarregando-se pessoalmente de suas relações com a nobreza e a burguesia e dispensando o Parlamento. Inicia-se assim o apogeu do Absolutismo. Com seu apaixonante realismo, Rossellini realiza uma impecável reconstituição de época, mostrando episódios históricos, como a construção do Palácio de Versalhes, e o cotidiano da corte real, com seus exuberantes banquetes. Uma indispensável lição de história.

Apollo 18 - 88 min.


Oficialmente, a Apollo 17 foi a última missão tripulada à Lua, tendo sido lançada em 17 de dezembro de 1972. Só que, um ano depois, foi enviado ao satélite uma missão sigilosa, a Apollo 18, financiada pelo Departamento de Defesa dos Estados Unidos. Apenas dois astronautas foram enviados e ambos não sabiam o que estavam por enfrentar. Quando um deles encontra um capacete rachado em pleno solo lunar eles percebem que há algo de errado ali.