"A Vida, como a fizeres, estará contigo em qualquer parte." (Autoria desconhecida)

O conhecimento filosófico



Para iniciarmos nosso caminho na estrada que leva à investigação crítica da filosofia, temos que saber um pouco de como, passo a passo, o conhecimento foi se modificando no decorrer da história. É preciso saber como a filosofia foi se estruturando na medida em que os diversos pensadores foram tomando conhecimento dos trabalhos uns dos outros, criticando-os, fazendo sugestões, tendo idéias.
É difícil imaginarmos que o conhecimento filosófico, desde a época de Sócrates, Platão e Aristóteles, tenha aumentado ou diminuído. Geralmente pensamos apenas que ele se modificou, adquirindo elementos novos e perdendo outros tantos na mesma medida. Isto acontece porque não tratamos o conhecimento filosófico como, por exemplo, tratamos o conhecimento sobre as diversas tecnologias.  

Características da Filosofia



Com Sócrates, Platão e Aristóteles, a filosofia ganhou algumas características que se fixaram, transformando-se na marca de discurso racional até os dias de hoje. O que isto quer dizer é que, se possuímos algo que se chama razão e se a exercitamos por meio de uma investigação crítica do pensamento, então, esta investigação, este pensamento crítico sobre o que quer que seja, deverá possuir, em algum grau, essas características. Vejamos quais são:

A Filosofia ganha seu espaço


Busto de Sócrates, Platão e Aristóteles

A filosofia, portanto, ganha importância e assume definitivamente o seu papel dentro da sociedade antiga, mais precisamente na Grécia dos séculos VIII a.C., quando a maioria decide que explicações baseadas no pensamento racional são melhores, ou mais convincentes, que as de origem mitológicas ou supersticiosas. O uso da Razão é, assim, a coluna central na edificação do conhecimento ocidental desde o seu nascimento com a filosofia até os dias em que nos encontramos atualmente.  

A Razão



Já tivemos a chance de conhecer um pouquinho das histórias que são contadas a respeito de deuses e pessoas, tudo para tentar entender melhor o que é isto chamado Razão. Mas não tivemos chance de compará-las efetivamente. Ao que tudo indica, as duas histórias, sem levar em consideração se realmente aconteceram ou não, podem ser encaradas como maneiras de se falar a respeito de como os humanos, homens e mulheres, abandonaram um tipo de pensamento para se concentrarem em um outro tipo. Isto é, como passaram do uso exclusivo da fé para o uso exclusivo da Razão, com o objetivo de criarem suas explicações para o que acontecia na superfície do mundo.

O amadurecimento da Filosofia

Adão e Eva - Dürer

A partir do momento em que a filosofia começou a amadurecer no mundo ocidental, e isto se deu na Grécia Antiga, lá pelos séculos V e IV a.C., as explicações sobre os eventos, sobre os fenômenos, sobre as causas e fins da existência adquiriram um novo formato, um novo perfil. As explicações baseadas nos humores divinos começaram a ser deixadas de lado em favor de um tipo totalmente novo de argumentação. Este novo tipo de argumentação tinha por base o uso pleno da famosa Razão Humana - e esta tinha por uma das características deixar os deuses de lado quando o assunto exigisse algum tipo de reflexão do pensamento. 

O Nascer da Filosofia

Culto Afro - Omulu

Como vimos, as pessoas têm se perguntado o porquê das coisas serem de tal maneira desde o início do pensamento, desde o início da história humana. Porém, antes mesmo que a filosofia pudesse formular qualquer investigação sobre a natureza, a origem e o fim das coisas que existem, das que vemos e das que não vemos, outras tentativas de encontrar respostas foram executadas. 

A Filosofia


A palavra filosofia tem um significado muito especial, que é desconhecido pela maioria e que, no entanto, nos ajuda a entender a sua função na história humana.
Em termos muito gerais, filosofia vem do grego e quer dizer apego ao conhecimento. Mas este apego ao conhecimento também pode ser entendido como uma vontade, que é própria do ser humano, em tentar entender e explicar tudo o que está à sua volta, assim como o ar fresco matinal, as árvores pequenas e grandes, os riachos que fluem, as pedras que ficam paradas, ou as que rolam morro abaixo em tentar entender e explicar o objeto mais difícil e interessante de todos, que é a própria figura daquele que pensa sobre tudo isso, o homem.

Legalmente loira 2 - 84 min.



Depois de se formar em Harvard, Elle Woods (Reese Whiterspoon) é agora uma jovem advogada, que conseguiu seu primeiro emprego em um grande escritório e divide seu tempo entre a carreira e os preparativos para o casamento com Emmett Richmond (Luke Wilson). Ao descobrir que a mãe do seu adorado chihuahua, Bruiser, está sendo usada como cobaia em testes com cosméticos por um dos clientes do escritório em que trabalha, Elle resolve defender os direitos dos animais e é imediatamente despedida. Ela fica arrasada, mas sem deixar de ser otimista vai para Washington, para trabalha com a congressista Victoria Rudd (Sally Field) e resolver as coisas do seu jeito. Ao tentar entender como as decisões são tomadas e conquistar a simpatia de políticos, visando seus interesses pessoais, Elle enfrentará um grande desafio e logo é chamada de "Barbie do Capitólio", pois em meio a tantas cores sóbrias seu visual cor-de-rosa se sobressai. Isto faz com que os políticos não se simpatizem com Elle inicialmente e Washington D.C. não é um lugar fácil para uma mulher ligada com as últimas tendências da moda, mas com determinação Elle enfrenta o sistema ao estilo Woods. Elle ergue a voz em defesa não só por Bruiser, pois também quer criar uma lei que proteja todos os animais.